@lenixbaiano
Dono da Aline
Posts
297
Last update
2020-05-01 20:05:22

    Trai meu marido na festa de final de ano da empresa em que ele trabalha (Dez-2019)

    By: Ana

    Me chamo Ana, sou de SP, sou casada. No final do ano passado fomos, meu marido e eu para a festa da empresa em que ele trabalha.

    A festa foi num grande hotel aqui de Sao Paulo e todos os homens foram de black tie e as mulheres estavam todas bem vestidas e mostrando suas jóias. Eu comprei um vestido que ficou colado no meu corpo,que mostra minhas curvas, ele tem uma fenda lateral e um decote nao muito grande ja que meus seios sao um pouco grandes, afinal eu teria que estar apropriada para a tal festa, para nao deixar marcas coloquei uma calcinha preta minuscula botei as meias 7/8 e me achei provocante mas social. Quando chegamos no salao tudo era muito chic, todas as mulheres muito bem vestidas. Me senti um pouco deslocada mas mantive minha postura ja que meu marido estava radiante.

    Sentaram conosco na mesa mais dois casais, todos mais velhos que nós ja que estamos na casa dos 40 e as duas senhoras eram muito antipáticas. Depois fiquei sabendo que eram dois diretores importantes e meu marido  ficou babando ovo para eles.

    A festa se desenvolveu o jantar foi servido e depois começou a apresentaçao dos relatorios e logo apos começou um show e começaram a servir mais bebidas. Meu marido empolgado bebia mais do que devia e logo foi chamado para conversar em  outra mesa e eu fiquei ali sozinha assistindo ao show ao lado das senhoras que so contavam vantagens uma para a outra, entao resolvi ir ate o banheiro para rever a maquiagem e coisa e tal. O local era enorme e eu nao sabia onde era o banheiro entao vaguei um pouco pela festa ate que tive que perguntar para um garçon que me disse que o banheiro feminino do salao era do outro lado, mas me disse que havia os banheiros do hotel que era so sair por uma porta que no corredor mais a frente teria toalets. Sai por essa porta ao lado e segui em um corredor enorme.

    Cheguei lá posso dizer que éra o banheiro mais lindo que ja vi e tava vazio,  entao revi minha maquiagem naquele enorme espelhos, fiz minhas necessidades e retornei pelo enorme corredor. Voltei para a festa e vi meu marido conversando com um grupo de homens e quando ele me viu me apresentou para eles, todos muito educados e simpaticos porem frios.

    Voleti para minha mesa e as senhoras nao estavam, fiquei ali passando o tempo e peguei uma champagne para tomar, tomei uma, duas, tres, e fui dançar um pouco, meio timida no canto. O garçon passou e peguei mais uma taça, a musica tava otima e a aglomeração de pessoas perto da pista aumentou foi quando sinto uma resvalada de mao no meu bumbum, eu ja tava um pouco alta e nem liguei, depois senti outra e me mudei de lugar mas olhei para ver quem era.

    Um homem mais ou menos da minha idade, moreno, lindo e quando ele viu que eu olhei me retirou a taça que eu estava na mao e me entregou outra. Agradeci a gentileza e continuei dançando,  ele veio ate perto de mim e disse que eu era linda. Dei uma buscada com o olhar para achar meu marido e o vi rindo e bebendo do outro lado do salao. Agradeci novamente a gentileza dei uma medida no homem vi que era casado e fui para a minha mesa, e fiquei fitando aquele homem de longe, mas devido as 5 taças de champagne me deu vontade de ir ao banheiro. Ate pensei em ir no  que era mais perto da minha mesa, mas havia adorado o banheiro do hotel entao cruzei todo o salao abri a porta do corredor e segui nele. Quando fecho a porta e começo a andar pelo corredor percebo que a porta se abre novamente olhei para tras e vi que era o tal moreno, olhei para a frente e segui. Ele se apressou e se aproximou com passos largos, entao me chamou, olhei para tras e  ele me falou:    -  Sabe o que eu quero?

    Eu disse que nao.  Ai  ele falou:   -  A  mulher mais linda dessa festa. Ai eu respondi:   -  Entao deve ser sua esposa.

    E entrei no banheiro, ele  entrou comigo fechou a porta, eu olhei para ele assustada. E ele me indagou.    - Por que quando eu passei a mao na sua bunda, por duas vezes vc nao reclamou?

    Eu disse que nao queria causar tumulto. E ele perguntou:    - Mas voce gostou?

    Eu olhei para ele e me vi fechada naquele banheiro e percebi como ele era lindo e respondi a coisa mais idiota que eu poderia  talvez por causa da bebida tentei ser sincera:     - Qual mulher nao gosta de se sentir desejada?  Perguntei pra ele.

    Ele entao me puxou de encontro para ele me olhou nos olhos, sinceramente fiquei rendida a muito tempo um homem nao havia me pego com  tanta pegada, ate mesmo em casa eu nao fazia sexo ja fazia uns dois meses, nao ia ser a primeira vez que eu iria trair meu marido mas novamente pensei em nao arrumar um tumulto e no embaralho dos meus pensamentos ele me beijou, eu me entreguei o beijei gostoso, obvio que tinha gostado de sua mao resvalando no meu bumbum e depois senti que ele foi mais fundo na segunda passada de mao. 

    Ele entao me beijou me abraçou segurando meu bumbum por cima do vestido com uma mao e a outra adentrou pela fenda e tambem foi para o meu bumbum, quase gozei de tesao. Nao  perguntei seu nome e nem queria saber. Ele entao levanta meu vestido me joga de encontro a pia do banheiro e fico com meu bumbum todo pra fora, ele tira o pau pra fora e começa a esfregar na minha bunda entao ele tira minha calcinha me olha pelo espelho com ela na mao e diz que nao iria me devolver, eu procuro seu pau com minha mao para tras e o encontro durissimo entao o encaminho para minha bucetinha e o pau dele desliza facilmente para dentro da minha bucetinha me inundando de prazer, o pau dele era mais grosso do que do meu marido, mas entrou muito facil devido ao meu tesao acumulado.

    Ele entao segura meus seios e começa o vai e vem delicioso, eu fico ali o vendo pelo espelho com minha saia levantada e meu bumbum empinado sendo alvejada por aquele pauzao gostoso que entra e sai sem parar,  ele segura nas minhas ancas e vai mais forte, e vai mais fundo eu estou totalmente entregue entao ele me da dois tapinhas, e eu enlouqueço e começo a gemer e murmurar e sinto que ele vai colocando, sem parar com o vai e vem, e enfia o seu dedao da mao no meu cuzinho e continua a bombar.

    Ele pega em meus cabelos e eu me jogo para tras, como ele percebe que gostei do dedo na minha bundinha, entao ele tira seu pau da minha bucetinha e o vai colocando no meu cuzinho, vou rebolando lentamente para ajudar a penetraçao ate que aquele pauzao consegue me arregaçar.

    Ele entao faz movimentos de estocada e eu uivo de prazer, ele massagea com seus dedos meu clitores e eu me retorço,  rebolo, ali apoiada na pia me olhando no espelho com aquele moreno lindo engatado em mim, vejo sua boca, ouço seus gemidos e começo a gozar, sinto que fui do terreo ao decimo andar e entao ele tira o pau pra fora e começa a gozar deixando seu mel escorrer pela minha bunda eu me viro de frente pra ele e o ajudo punhetando ate acabar tudo.

    Entao ele se arruma fecha suas calças me da um beijo e sai do banheiro, eu fiquei ali durante uns 5 minutos me recompondo, abaixei minha saia, arrumei minha meia, me retoquei por inteira e sem a calcinha, ja que o safado levou, entao voltei para o salao. 

    Cheguei na mesa e as duas senhoras estavam lá, logo chegaram seus maridos e o meu tambem me pedindo desculpas por ter me deixado sozinha. Meu marido nem desconfiou do que tinha acontecido.

  • Enviado ao Te Contos por Ana
  • Baladinha com esposa

    Eu sou um típico homem casado brasileiro. Minha esposa e eu fazemos sexo talvez uma vez por semana, e dependendo dos nossos problemas profissionais durante a semana, às vezes o sexo passa até batido e ou despercebido…

    Quando nós nos casamos a minha esposa era daquelas que só conheciam a posição sexual missionária, e algumas pequenas variações da mesma… Nada mais do que isso.

    Mas tudo isso mudou com uma situação acidental nossa. Minha esposa e eu fizemos um acordo para apimentar a nossa relação que estava muito fria, ela veio com a ideia de que precisávamos voltar ao básico e recomeçar.

    Ela me disse que precisava da atenção extra de outro homem e que eu precisava presenciar tudo…

    Ou seja, ela queria se exibir, se insinuar para outro homem, e eu teria que presenciar tudo à distância.

    Eu pensei que ela estava louca, mas ela me disse para ouvi-la e deixar acontecer, e que era pra eu confiar nela.

    Ela então propôs se vestir com um microvestido, super curto, branco, que realçava e marcava a sua calcinha, ela se maquiou toda, passou um batom muito vermelho, e nós seguimos em direção a um bar, que ficava no lobby de um hotel bem conhecido em nossa cidade, e que era perto de onde nós moramos o (Isso me causava uma grande ansiedade, angústia e nervosismo.)

    Imaginar que ela poderia conhecer um homem que ela se sentisse atraída, e fosse meter com ele em um quarto daquele hotel me deixava louco de excitação. Esse bar é conhecido em nossa cidade como o reduto dos solteiros(as), caso você esteja afim de conhecer alguém, esse é o local certo.

    Sua ideia era que, se ela achasse o tal homem , então ela me mandaria entrar no bar e ela me apresentaria como um velho colega de faculdade . Ela então me apresentaria ao homem que ela acabava de conhecer e eu teria que me sentar ali mesmo ao lado dela enquanto ela flertava para frente e para trás com ele. Eu concordei com o seu plano, e ela partiu para a ação…

    Eu quero enfatizar que isso tudo era muito louco pra mim, mas eu também sou homem suficiente para admitir que a minha esposa é muito sensual e gostosa, e por isso eu tinha certeza que o seu plano funcionaria, (eu estava disposto a tentar…)

    Eu sabia que ela não teria nenhum problema em chamar a atenção de todos!

    Ela partiu pro o bar do hotel e me disse que ela me enviaria um texto no whatsapp se encontrasse um homem que ela gostasse. Me sentei no lobby e aguardei… Passaram umas duas horas, e eu estava surpreso com o fato de que ela ainda não havia feito nenhum contato… Nem de texto.

    Então, cerca de meia hora depois, recebi o texto. Ela me disse: “Venha aqui, mas lembre-se que te amo com todo o meu coração”.

    Minha mente começou a se perguntar o que diabos ela estava fazendo, especialmente com a quantidade de tempo que havia se passado…

    Eu entrei na área do bar e vi minha esposa sentada ao lado de um homem. Meu palpite era que ele tinha cerca de uns 45 anos e era um homem bem afeiçoado. Quando eu me aproximei do bar, vi que ele tinha o braço meio que ao redor dela com a mão na parte de trás da cadeira. Eu pedi uma bebida e estava de pé atrás de algumas pessoas no bar a cerca de três metros de distância. Eu tenho que admitir que eu podia sentir o meu coração acelerado batendo no meu peito… Ela virou-se para olhar ao redor e me viu de pé ali. Ela gritou para mim e disse “Oh meu Deus, Evandro, vem cá…”

    Eu caminhei até ela, e o homem retirou a mão de sua cadeira. Ela se virou para ele e lhe falou que eu era um amigo de faculdade, e que ela tinha estudado comigo. Ela então se levantou e me deu um grande abraço. Ela voltou a se sentar ao lado desse homem, e me apresentou a ele. Seu nome era Thomas. Apertei a sua mão e perguntei a minha esposa como ela estava… Ela continuou me dizendo que estava bem e falou pro Thomas que ela teve a maior paixão por mim na faculdade, e outras coisas mais… Eu joguei, e disse a ela que eu não tinha ideia dessa paixão… kkk.

    Eu disse ao Thomas que ela era a mais linda da nossa turma, e que nunca me imaginei tendo qualquer chance com ela…

    Nós fomos de um lado para o outro como se tivéssemos acabado de nos reconectar e reencontrar… A situação era uma loucura…

    Ela comentou sobre o meu anel de casamento e eu disse a ela que eu era casado sim, mas o sexo não é o que costumava ser…Ela então disse: “Oh, meu Deus, eu estava dizendo ao Thomas que eu tenho o mesmo problema.” Tomas então disse que ele estava falando para ela que nenhum homem em sã consciência poderia se cansar de uma mulher como ela. Ele a encheu de elogios, falou quão linda ela era, e quão sexy ela olhava pra ele.. . Ele perguntou minha opinião. Eu disse a ele que isso pode acontecer após 20 anos de casamento! Mas eu também falei que ela estava mais linda agora do que na época de faculdade.

    Minha esposa balançou a cadeira em direção ao Thomas com as pernas abertas, virou a cabeça para mim… e me pediu para guardar sua cadeira que ela já voltaria. Eu disse, claro, enquanto o Thomas olhava diretamente para para baixo entre as pernas abertas da minha esposa! Sua mini saia era muito curta e mostrava sua calcinha branca e sua bucetinha depilada marcando a calcinha… Uma cena alucinante !

    Era nítido que a atenção de todos estava voltada para as pernas da minha esposa, que as cruzava e descruzava a todo instante. Eu pedi uma caipirinha, e minha esposa fez questão de dar aquela voltinha básica para o Thomas ver todo o seu corpo. Ela foi ao banheiro, e pediu ao Thomas que lhe acompanhasse…

    Passou-se cerca de uns 30 minutos, e ela volta do banheiro, me deu um beijo na boca, segurou a minha mão, e me arrastou pra fora do bar… Entramos em nosso carro, e entes que eu pudesse perguntar pelo Thomas, ou o que tinha acontecido, ela levantou a saia, e me mostrou a sua bucetinha toda vermelhinha… Ela me disse, “Aqui corninho… Olha bem pra minha pererequinha toda esfoladinha… Acabei de dar pra um pauzão de uns 20cm,.. E ele me fudeu todinha…

    Ela falava isso enquanto me beijava, eu podia sentir o gosto de porra na boca dela… Ela me disse que ele havia gozado na sua boca, e que ela não havia lavado justamente para eu sentir o gosto de seu amante…

    Minha gente, essa foi o momento de maior excitação na minha vida…a sensação era única, eu queria saber cada detalhe… Ela me contou que eles entraram no banheiro masculino, trancaram a porta, ele a virou de costas contra a parede, levantou a sua saia, puxou a sua calcinha pro lado e a penetrou por trás com força… Mordendo suas orelhas e seu pescoço… Depois de algumas metidas ele sentou no vaso, e ela se sentou no pau dele…

    Ela rebolava e gemia pedindo mais… uuiiiii… Quando ele sentiu que ia gozar ele se levantou, colocou minha esposa de joelhos e encheu sua boquinha de leite… E foi esse leitinho do Thomas que ela trouxe pra mim, e que eu estava sentindo o gosto em seus beijos alucinantes… Naquele momento eu me enchi de coragem e falei, eu quero ser seu corninho pra sempre meu amor !

    Foi uma sensação indescritível de liberdade. Eu sabia que as pessoas no bar haviam notado o que tinha acontecido.. E quanto mais pessoas sabiam, mais eu ficava excitado…

    Fomos para casa e  transamos feito dois adolescentes. Desesperados de tesão ! Foi absurdamente gostoso ! Sou corno, mas sou muito feliz !!

    te-contos

    Trai o meu marido com o amigo dele do futebol em casa

    By: Maria de Fatima

    Meu nome é Maria de Fatima, eu Tenho 37 anos e sou casada ha 6 anos. Tenho a pele clara, cabelos castanhos um pouco abaixo dos ombros e 1,64. Sou mineira mas desde o casamento me mudei para o nordeste.

    Meu marido toda segunda feira joga futebol na praia com sua turma. De vez em quando, após o futebol ele saem para tomar uma cerveja retornando pra casa bem mais tarde. Costume antigo dele que já me acostumei, tanto que quando ele me avisa que terá a cervejinha depois, nem espero pra dormir.

    Numa dessas segundas feiras, estáva dormindo e fui acordada pelo meu marido na cama avisando que tinha chegado, pela fala embolada percebi que ele estava bem mais pra La do que pra Ca. Me avisou que um colega de futebol ia dormir no quarto de hospede hoje pq eles demoraram e ele perdeu o ultimo ônibus. Falando isso me deu um beijo e foi pro banho.

    Passado um tempinho, eu acordo com uma voz chamando pelo marido 

    - “João, João, pega uma toalha pra mim”. 

    Cutuquei meu marido, avisei-o e virei pro lado. Fiz isso 2x e não conseguia dormir pq meu marido não levantava de jeito nenhum e o tom de voz só aumentava. Até que inconformada resolvi levantar e resolver o problema.

    Coloquei um roupão por cima da camisola e fui.

    Peguei uma toalha, bati na porta e estendi o braço na direção da greta da porta. Assim que ele viu a toalha falou 

    -“pô João! Que demora!” 

    E abriu a porta. Ficamos frente a frente, com ele nu e eu com o susto acabei deixando a toalha cair no corredor.Ele não sabia o que fazer, se aproximava de mim para pegar a toalha ou se tampava suas partes intimas. Na dúvida acabou ficando no meio do caminho se aproximando de mim mas sem se cobrir direito.

    Eu também na duvida acabei demorando pra ter reação, e acabei me abaixando para pegar a toalha. 

    Quando entreguei não pude notar seu inicio de ereção que por mais tentasse esconder foi ficando bem evidente. Assim que pegou a toalha enrolou ela na cintura mas não pode esconder sua excitação que parecia total neste momento.

    Não consegui desviar meu olhar! Ele percebeu e me pediu desculpas por ter ficado daquele jeito. Pediu desculpas também pq tinha deixado o Box com muita areia que estava na sunga e no corpo. Eu num impulso acabei perguntando

    -  “mas ainda coube esse tanto de areia na sua sunga”

    Ele riu e me disse : - “eu não fico nessa situação quando jogo bola”

    Nos dois rimos e percebi que agora ele não se preocupava em disfarçar o volume. Ele se aproveitou

    – “acho que preciso de mais um banho antes de dormir”

    Eu: – “pelo menos a toalha agora está aí, não va dormir tarde”

    Ele: – “mas vc poderia me ajudar com isso, não é justo vc me ver nu e não ter nenhuma gracinha para me ajudar”

    Eu: – “tá doido, me marido está aqui. Se ele souber acaba com nos dois”

    Ele: – “segredo nosso, não falo o q vc viu e vc não fala o que eu vi, justo”

    Acabei ficando pensativa sobre a situação e ele continuou:

    Ele – “me mostra só sua calcinha”

    Não estava preparada pra situação, confesso que não usava das calcinhas mais bonitinhas. Mas ele pediu pra ver mesmo assim. Entrei um pouco mais no banheiro e timida, abri meu roupão e levantei um pouco a camisola. Minha calcinha branca não conseguiu esconder meu tesão daquele momento. Ele gostou do que começou a se tocar. Abaixei a camisola mas ele disse que tinha que ver ela toda e me pediu para virar de costas. 

    Tive que tirar o roupão e enquanto o segurava com uma mão levantei novamente a camisola mostrando pra ele meu bumbum. Ouvi seus suspiros e quando ia abaixar a camisola senti suas mãos pegarem minha calcinha comportada e transformar num fio dental. Com uma mão tentei tirar ela de dentro da minha bunda e ele aproveitando da situação colocou seu pau na minha mão.

    Virei rapidamente e senti seu pau encostando na minha barriga. Ele simplesmente colocou a mão na minha nuca e foi forçando pra baixo, resisti o quando pude mas acabei me abaixando e ficando com a cara de frente para o pau dele. Era grande, grossinho e com a cabeça rosada babando. Ele foi forçando a entrada na minha boca e comecei a chupar. Como era gostoso aquele pau, estava super molhada. Chupava, tentava colocar ele ao Maximo na minha boca, lambia. Ele pegou minha mão e colocou no seu saco. 

    Não tinha reparado era muito grande. Tirei o pau da boca pra ver direito o saco dele. Medi ele com as maos enquanto ele ria e perguntava se tinha gostado. Olhei pra ele ri e comecei a chupar de novo. Ele gemia baixinho e pedia pra eu não parar, que ia gozar rapidinho. Eu escorria de tanto tesão. Precisava de sentir alguma coisa em mim.

    Pedi para ele me penetrar um pouco mas que tomasse cuidado pra não gozar. Ele me levantou colocou contra a parede do banheiro, abaixou minha calcinha e foi passando o pau na porta da minha bucetinha. Colocou de uma só vez. Ele entrou numa facilidade incrível de tanto que eu estava molhada. Ficou me penetrando uns 2 minutos e logo avisou que não aguentava mais, precisava gozar.

    Voltei a colocar aquele pau na minha boca. Ele pediu pra gozar na minha boca mas não deixei. (Iria voltar pra cama ainda e o gosto demoraria a sair. Foi o tempo de tirar ele e senti os primeiros jatos na minha bochecha, testa, olho e cabelo. Nunca vi gozar tanto. Não parava. Seu gozo começava a escorrer pelo meu queixo e caindo pela camisola. Não conseguia nem abrir o olho direito. Limpei um pouco com a parte de baixo da camisola e fui pra pia limpar o resto.

    Olhei pro lado e vi ele ainda de pau duro olhando para mim com uma cara de satisfação e riso no rosto. Eu ri também e perguntei a quanto tempo ele estava na seca pq nunca vi gozar igual. Ele rindo e orgulhoso disse que era normal.

    Me enxuguei com a toalha que tinha levado pra ele e entreguei dizendo se precisava de outra toalha. Ele disse que não que iria aproveitar meu cheiro nela para uma 2 vez. Peguei no seu pau uma ultima vez e desejei-lhe boa noite. Ele me agradeceu pela ótima noite e foi abrindo o chuveiro. 

    Sai do banheiro, fechei a porta e voltei para o meu quarto. Deitei com meu marido roncando e dormi ansiosa para pegar a toalha dele no dia seguinte e sentir o cheiro daquela segunda vez.

  • Enviado ao Te Contos por Maria de Fatima
  • orgulhocorno

    Corno de sorte

      Geralmente costumo me achar um cara de sorte. Tenho 25 anos, classe média, moreno, alto, porte atlético e com uma bela namorada. Minha namorada, Raquel, tem 28 anos, ela é branca com cabelos negros levemente ondulados, seios fartos, uma bunda redonda e coxas grossas que chamam muita atenção enquanto está andando. Uma boca pequena, mas com lábios grossos e um olhar marcante.

    Bem, como eu disse, costumo me achar um cara de sorte.

    Sempre fomos muito ativos e gostamos muito de esportes e afins. Mas, de uns dias pra cá, tenho reparado que minha namorada tem chamado muito a atenção dos homens, muito mais do que de costume.

    Esses dias, estávamos na academia, ela, fazendo agachamentos e eu do outro lado da academia, na área de pesos livres, fazendo supino, quando eu estava chegando perto do bebedouro, reparei um grupo de homens no canto comentavam sobre ela. Gesticulavam e olhavam.

    Num primeiro momento, fiquei com um certo ciúmes, estava de longe e passei desapercebido sobre suas conversas, e resolvi ver o que dava. 

    O papo deles não havia nada de muito diferente dos outros papos de homens sobre mulheres, comentavam dos seios, boca, bunda e coxas. Mas, de repente, um deles disse aos amigos “será que temos mesmo chanc
    e?”.

    Fiquei intrigado com aquele comentário, me afastei e voltei a malhar, dessa vez perto dela. Saímos da academia e meu susto passou.

    Minha namorada era uma moça na dela, não era de ficar dando papo pra homens por aí, por isso deixei isso pra lá, fomos embora.

    Nesse mesmo dia a noite, havíamos combinado de jantarmos na casa de uns amigos. Apesar de ser na dela, Raquel sempre gostou de se arrumar, nesse dia, colocou um vestido curto, soltinho com um belo decote e salto alt
    o.

    Assim que chegamos na casa da Brenda, uma amiga de longa data da Raquel, seu namorado Gustavo estava na porta do prédio para nos recepcionar, deu um longo e apertado abraço na Raquel, e trocamos um aperto de mão.

    Assim que nós jantamos, abrimos um vinho e começamos a falar bobagens e assuntos sobre sexo. As coisas iam rolando com risadas e brincadeiras, até que Brenda me perguntou “e você, dividiria a Raquel com alguém?”

    Aquela pergunta me acertou como uma pedra, no mesmo momento lembrei dos caras da academia, mas, em vez de vir somente aquele sentimento de ciúmes, veio um tesão junto. “Claro que sim, não existem diamantes de um dono só” respondi aos risos.

    Depois do jantar deixei Raquel em sua casa, e, indo para casa fiquei pensando naquela cena dos três rapazes. Será que ela me trairia? Será que se eu deixasse, ela se deitaria co
    m outras pessoas?
     

    No dia seguinte, como sempre fazia, encontrava minha namorada na academia, geralmente, eu chegava primeiro e a recepcionava, mas, hoje resolvi ficar num canto, ver como ela agiria na academia sem que eu fosse até ela, ou, sem que ela me notasse.

    Como eu esperava, ela chegou e foi se aquecer, sempre na dela. Então foi para os aparelhos de perna, que ela adora fazer.

    Nossa academia tem um formato de espelhos, que de alguns ângulos, é possível ver a academia toda, e de outros ângulos, somente o ponto onde você está. Fiquei num desses pontos estratégicos, só observando, quando, de repente, um daqueles caras de ontem chegou perto dela.

    Não fez nada além de um aceno amigável e começou a malhar, depois de uns cinco ou dez minutos, comecei a pensar que estava pirando com aquela situação, que os caras comentaram algo sem pensar e que não tinha nada a ver.

    Até que, ela se virou de costas pra ele, e começou a fazer agachamentos. 

    Virou-se bem de costas mesmo, deixando a bunda bem na linha dos olhos dele. Aquela calça legging apertadíssima marcando sua cacinha fio dental e sua bunda estava muito escancarada. E ele, assim como os outros começaram a olhar descaradamente.

    O show vai começar, pensei…

    O cara fez alguns comentários, ela riu, e saiu da academia. Fiquei boquiaberto com aquela situação. Onde já se viu?? Minha namorada, longe da minha presença se transformou assim??

    Passaram-se alguns dias, ela me chegou um dia em casa toda animada, com aqueles cabelos reluzindo, sentou ao meu lado com um micro shortinho e perguntou, “amor, lembra aquele dia na casa da Brenda?” “… Sim, sim, por que?” “Você disse que me dividiria, estava mesmo falando sério??”

    Meu coração parou de bater por um instante.

    “Cl.. Cl.. Claro, por que não hehe” Respondi com o que me restou de ar nos pulmões, “ Então, tenho um amigo, da academia, que vem conversando comigo de uns dias pra cá, o que acha de chamarmos ele pra jantar aqui em casa, amanhã?”

    “Cl.. Cl.. Claro, por.. Por.. Por que não?”

    Não sei o que me deu naquele momento, topei algo meio sem saber o que tinha topado. Não sabia se havia topado ele vir jantar com a minha namorada, ou ele jantar A minha namorada. 

    Naquela noite não consegui dormir, ficava imaginando coisas, e toda vez que eu imaginava vinha uma corrente de ciúmes, junto com uma de tesão, as vezes a de tesão era mais forte, as vezes a de ciúmes era mais forte. Mal sabia o que estava sentindo. Mas, tudo na vida tem um por quê para acontecer.

    Chegada a tão esperada noite, quando a
    campainha tocou, meu coração gelou novamente.

    Cada ding-dong entrava pelos meus ouvidos e gelava meu peito, mas ao mesmo tempo me excitava muito não saber o que ou quem estaria por vir. Quando ela abriu a porta, era o cara da academia, aquele que trocou sorrisos com ela, ela o abraçou num pulo e disse sorrindo “Cacá, que bom que você veio!!”

    Aquilo me estranhou um bocado, num dia eu ouço o cara perguntando aos amigos se tem chances com ela, no outro, ela troca olhares e sorrisos com o cara, e agora ele já é chamado de Cacá?? Aquilo me deixou um tanto bravo, mas continuei excitado com aquela situação.

    Sentamos os três para conversar, num certo momento eu disse “ gente, vou até a cozinha ver a comida, fiquem à vontade” minha namorada deu uma piscadinha com um olho pra mim, e se virou pra conversar com ele. Não sei se ela pensou que aquilo foi um sinal, ou se ela fez só de brincadeira. Enfim, fiquei na cozinha observando de longe o jeito dela.

    Os dois se sentindo a sós, começaram a rir e a descontrair, riam tanto que me tranquilizei pensando mesmo que eram só amigos. Até que em certo momento de riso, ela colocou
    a mão na coxa dele.

    Ele continuou como se nada tivesse acontecido, conversando descontraidamente, e se encostou no sofá, e colocou os braços por volta dela. Eu olhava tudo aquilo de relance, mas quando vi isso, parei o que estava fazendo e fiquei espiando pelo canto da parede.

    A conversa dos dois ia ficando cada vez menos risonha, e os dois não paravam de se entreolhar entre um risinho e outro, até que, ela olhou para a cozinha num relance rápido, e depois o beijou.

    Meu coração quase explodiu naquele momento, achei que aquilo nunca chegaria naquele ponto. Mas, eu estava fervendo por dentro e não era de raiva, era de tes
    ão.

    Conforme o beijo deles se intensificava, meu pau ficava cada vez mais duro, e eu não conseguia parar de olhar, por mais ciúmes que estava.

    As mãos dela percorriam o corpo dele, e ele não deixava barato, até que a mão dela parou na calça dele, e começou a massagear o membro dele pela calça. Sem parar o beijo, ele foi abrindo o zíper, e tirou o pau para fora, naquele momento eu a vi um tanto trêmula, olhou de novo para a cozinha umas dua
    s vezes.

    O pau do cara era enorme, tinha uns 22 ou 23 cm, a cabeça parecia uma maçã. Ela começou a massagear, e desceu o corpo dando um beijo na cabeça do pau dele. Nesse momento eu saí de trás da parede e os dois olharam pra mim.

    Ela deu uma lambida na cabeça do pau dele, com certa delicadeza, mas assim que eu saí detrás da parede, ela olhou pra mim, e em seguida abocanhou o pau dele, com extrema vor
    acidade.

    O cara começou a delirar, eu comecei a tirar minhas roupas, e fui pra cima dela. Ela me chupou um pouco, e me afastou, estava interessada no amigo bem dotado.

    Sem tirar a boca do pau dele, ela tirou a roupa, e se ajoelhou na frente dele, colocando o pau dele entre aqueles seios fartos.

    Vendo aqueles seios fartos e lindos sendo detonados por aquele pau torto, enorme e com a cabeça toda melada, eu fui por trás dela, e comecei a encocha-la, ela empinou a bunda e me deixou penetrá-la.

    Depois de um tempo ela se virou e disse “deixa ele agora, você me tem todos os dias” dando uma piscadinha novamente, aí eu entendi que a noite não ia ser pra mim.

    Mas o amigo dela não estava pra brincadeiras, assim que ela disse isso, ele a virou de quatro, e colocou de leve na vagina dela… Ela foi gemendo na medida que ele entrava, com muita lentidão… Então quando chegou ao fundo, ele deu duas estocadas bem firmes dentro dela, que gemeu alto e foi ao delírio.

    Eles pareciam atores de um filme pornô, ele metia com muita força dentro dela, que não se continha em gritar e gemer com
    muito tesão.

    Até que ele começou a colocar o dedo em seu cu, primeiro um só, e ela gemeu com mais intensidade, ele disse “agora vamos lá, vadia, abre bem essa bundinha”

    Eu estava a ponto de gozar de tanto tesão de ver aquela cena insólita e impossível na minha frente.

    Ele colocou o pau no cuzinho dela, que até então eu achava ser virgem. “Malandro de sorte” pensei…
    Ela estava delirando enquanto ele metia nela, até que ele estava pra gozar, e eu também.

    “Vem amor, goza em mim junto com ele”

    Depois disso, ficamos os três relaxados no sofá, aí quando fui ao banheiro, ele foi junto “posso me limpar aqui?” Claro" eu disse… Dissemos poucas palavras, mas quando ele estava indo embora me disse “ voc
    ê é um cara de sorte hein”…

    Minha namorada discordou corrigindo: ele era um cara de sorte, agora é um corno de sorte, pois esse será o primeiro de muitos chifres.

    lenixbaiano

    Olha que romântico amor @vermelhinhaa 💞🥰

    beccabellamy

    Suck Cock for Your Wife, Cuckold

    What if she wants you to suck cock for her? She knows you’re not gay. She knows you’re not necessarily bisexual. But she still wants you to suck cock for her. Maybe you should just do it.

    The first time she’ll invite you to suck cock with her. At first you’ll be on your knees next to her. You’ll watch her soft lips wrap around his cock and her tongue work the head. You’ll remember what it felt like when she used to suck your dick.

    Then she’ll suggest that you help her. Don’t hesitate, cuckold. Just go for it. Open wide and suck that big cock with your wife.

    Doesn’t that feel good? Doesn’t it feel good to suck dick with your wife? You take one half and she takes the other. Maybe you take the balls while she works the dick. Remember, you’re doing this for her. You’re doing it because it turns her on. You’re doing it because it’s what she wants.

    Eventually she’ll want you to do it on your own. She’ll want to watch as you blow her bull. You’ll be on your knees like a good submissive cuckold. She’ll tell you to suck his cock and you’ll open wide without hesitation. You’ll give a blowjob like a good boy should.

    If she wants to put her hand on the back of your head and push you down on his dick, let her do it. If she wants to take control, to push more of his cock down your throat, let her do it. She’s in control. You submit to her desires, and if that means sucking cock for your wife, so be it.

    Maybe she wants total control. She wants to put you in a collar and watch as you bob up and down on a dick. Maybe she’ll have you suck off her bull sometimes, swallowing his load when he’s done.

    Look at her smile, cuckold. Look at how happy it makes her to see you sucking cock. It makes her pussy wet. Your submission leaves her lustful and in need of a good fucking. Luckily, she’s got a real man with a big cock there to pound her.

    At some point you should expect to receive his load in her mouth. It’s the logical conclusion of your bisexual cuckold adventure. Whether you suck him off or he pulls out of her pussy to nut on your tongue, this will happen some day. You will take a load straight from her bull’s cock.

    lenixbaiano

    😱😱😱😱😱

    cornodasorvetinho

    Para os que me perguntaram inbox como é trepar na frente do meu marido aqui vai uma pequena descrição…
isso é algo que toda mulher deveria experimentar ao menos uma vez na vida, pois assim como todo homem se imagina fodendo duas mulheres, nós também sonhamos em pegar um garotão forte viril se possível bonito e pauzudo rsrs e dar igual uma cadela, ser uma puta como você nunca foi enquanto seu marido assiste a tudo numa punheta frenética no sofá…
você se sente única, desejada, idolatrada, o prazer de cada estocada na sua buceta de cada gozo alcançado são inigualáveis, é algo tão difícil de descrever, você fica entorpecida de prazer, e não só pelo fato de estar com outro homem mas sim pelo fato do seu homem estar ali com você o tempo todo, sendo seu maior amigo, seu melhor amante, único cúmplice, seu porto seguro!!!
pois logo que o outro macho te largar acabada na cama, extasiada de tanto gozar, suada, cansada, esporrada, teu homem, teu amor, será a única pessoa que vai te abraçar, te beijar, fazer amor com você e te cuidar a noite toda agarradinhos…
e serão cada vez mais unidos, mais cúmplices, mais amigos e mais amantes do que muito casal conservador que se diz feliz mas vivem cheios de fantasias não realizadas e que sequer tem coragem de revelar um ao outro!!!
já vi muito homem casado dar a bunda por aí, já vi muita mulher santinha largar o carro no estacionamento do shopping entrar em outro carro e ir passar a tarde no motel enquanto o suposto marido feliz trabalha, então não cedam a hipocrisia, as convenções sociais que ditam o que devemos fazer ou não para sermos aceitos na sociedade, sejam felizes agora, realizem seus desejos com seus respectivos parceiros agora pois a vida passa!!!
aos casais que me seguem, aos homens que sonham ser corninhos desejo que conquistem todas as suas fantasias mesmo que seja uma única vez, pois vale a pena!!!!

    Ass: Puta❤️

    todomeutesao

    Vixe, se esse é o sonho de toda mulher, eu sou homem 😂😂😂😂

    Inicialização da Esposinha - No Barzinho

    Contado por ela….

    Eu e o Miguel somos amigos de longa data. Nos conhecemos em um dos meus antigos empregos e jamais perdemos contato. Sempre conversamos com descontração falando algumas besteiras e palavrões “suaves” pelo Whats ou mesmo pelo telefone. Sou casada há 10 anos e meu marido sempre fala da sua fantasia em ter uma terceira pessoa na relação, as vezes outra mulher mas geralmente fantasia um outro homem. Temos até um “brinquedo” que nos ajuda muito quando fantasiamos. Confesso que nem sempre estou afim disso, mas quando rola é uma delícia. Ele faz eu chupar enquanto ele me toca, chega até a ficar com o rosto bem de perto, apenas observando… é uma loucura!!! As vezes me pergunta para falar o nome de um cara qualquer que eu tenha tesão ou até mesmo de algum conhecido, mas fico sem jeito e disfarço. Meu marido adora me provocar com mensagens, imaginando que poderíamos realizar a sua fantasia, e que agora está se tornando a minha também.

    Voltando ao meu amigo, certo dia combinamos de sair para colocar o papo em dia, pois faz tempo que não nos vemos, então fomos a um barzinho nos Jardins em SP, bem perto da nossa casa. Papo vai, papo vem e o assunto caminhou para relacionamento… ele disse que sua esposa é muito fogosa mas sempre que pode gosta de arrumar um “jantar” diferente, daqueles que serve apenas para matar certas vontades, então gargalhamos muito e comentei que as vezes um jantar diferente não mata ninguém! rsrs comentei que meu marido é muito tranquilo em relação a isso, e que até tenta apimentar nossa relação com algumas sacanagens e as vezes sugere que eu poderia ter um “Jantar” diferente, isto é, que uma aventura poderia ser bem vinda. 

    Depois disso percebi que o Miguel me olhava com outros olhos, eu estava ficando meio alegre com a caipirinha que estava tomando, o Miguel foi até o banheiro e nisso meu marido me manda uma mensagem perguntando se estava tudo bem e se eu estava me divertindo, respondi que sim, que estava tudo bem e se ele já estava na cama apenas de cueca como sempre dorme - dessa vez foi eu quem provoquei, talvez pelas caipirinhas, por tudo que fantasiamos, pelo que o Miguel me disse sobre “jantar” diferente e pelo seu olhar - então me disse que sim e que não sabe por que estava com muito tesão. Nisso eu respondi assim para ele: Amoreco, sabe quando vc me passa aquelas mensagens? Que tal passar algumas agora? Ele respondeu: Aproveite sua noite, hoje vc está liberada para fazer o que quiser, ou melhor, o que eu sempre quis! Meu amor por vc será maior do que já é!

    Depois disso senti que fiquei muito molhada, então quando o Miguel voltou, foi a minha vez de ir ao banheiro. Eu estava com uma calça social, de tecido macio, então resolvi ir um pouco mais além do que apenas mensagem para meu marido, tirei minha calcinha toda molhada, tirei duas fotos, uma bem na parte molhada e outra da minha calcinha dentro d minha bolsa e mandei para ele. Voltei para a mesa, Miguel com um olhar ainda diferente quando meu marido responde: Nossa, que delícia! Vc está doida de tesão também! Com quem vc está? Eu respondi que estava com a turma do trabalho e que encontrei um amigo antigo, que estavamos colocando o papo em dia. Ele disse: então por que não aproveita ele? Pronto, agora a coisa ficou séria! Não pensei muito, afinal nossa relação sempre foi muito boa e confiamos um no outro, fui em frente, aliás, o Miguel foi em frente. Ele estava sentado na minha frente, então resolveu trocar de lugar e veio ao meu lado, alegando que um cara atrás dele estava falando muito alto. Eu cada vez mais molhada, então ele colocou a mão na minha perna e continuamos a conversar. Eu me tremia toda com essa situação, e como minha turma foi para uma balada, fiquei despreocupada em ser vista. Fui dando cada vez mais bola para ele e ele sentindo que eu estava facinho, ficou cada vez mais cheio de intenções. Eu resolvi jogar também, então pedi para ele pegar minha bolsa que estava ao lado dele, quando pegou, a bolsa estava um pouco aberta e parte da calcinha estava saindo, eis que ele vê e pergunta sobre aquilo. Falei para ele que toda aquela situação nossa havia me deixado completamente molhada e que resolvi tirar para não me incomodar muito. Ele, safado e com a liberdade que temos, pediu para ver e eu concordei. Era não muito pequena, cinza clarinha e de renda nas laterais e quando ele pegou sentiu a umidade que estava e sem nenhuma vergonha, cheirou forte e deu um beijinho nela. Nisso meu tesão falou mais alto e coloquei a mão em sua perna e esbarrei no seu pau que estava duro feito pedra. Ele, todo assanhado perguntou se podia conferir a situação da minha xaninha, concordei apenas com sinal positivo com a cabeça. Dei um gemidinho de leve e imediatamente ele começou a beijar meu pescoço. Fico louca com isso…. Então, sem mais delongas me chamou para sairmos dali. Pagou a conta e fomos de encontro aos nossos carros. Ele pediu para eu entrar no carro dele para mostrar uma música que ele adora e como nossos carros estavam no mesmo estacionamento, por sinal um pouco escuro, não pensei duas vezes. Quando entramos ele colocou uma música qualquer e já pulou novamente no meu pescoço. Eu sem cerimônias apalpei gostoso o seu pau, que a essa altura também estava molhado. Ele apertava meus seios e eu abria sua calça colocando aquele pau duro, não muito grande mas bem bonito para fora e comecei a punhetá-lo bem gostoso. Nisso ele também abriu minha calça e introduziu um e depois dois dedos fazendo aquele movimento delicioso… eu me contorcia toda de tesão, então afastei ele de mim e cai de boca no seu pau! Chupava com maestria e ele acariciava minha xaninha e meu cuzinho, me chamando de gostosa! De repente meu celular recebe uma mensagem, era meu marido perguntando se eu estava me divertindo bastante. Parei um pouco e respondi: Vc nem imagina. Surpresa quando chegar em casa. Antes de guardar meu celular, tirei uma foto eu pegando no pau do Miguel. Achei melhor parar por ali, para uma noite foi uma inicialização deliciosa, com aquele ar de cumplicidade e muito, mas muito tesão… a fantasia que era apenas do meu marido, agora é minha também. O Miguel entendeu e disse que quer marcar para sairmos novamente e disse para eu trazer meu marido. 

    Sem beijos na boca, apenas esbarrão, nos despedimos e fomos embora.

    No caminho para casa enviei a foto que eu tirei segurando o pau do Miguel, nisso meu marido respondeu: Nossa amoreco, venha logo que quero ver vc toda putinha, se esfregando toda em mim como vc adoro e contando todos os detalhes!

    Ao chegar em casa meu marido estava louco para saber de tudo. Dei um longo beijo na boca para ele suspeitar onde minha boquinha estava há alguns minutos atrás, então ele me deitou na cama e veio me chupar toda! Enquanto fodiamos fui falando tudo que aconteceu, então gozamos como nunca havíamos gozados.

    Ele me disse que na próxima vez quer ir nesse barzinho comigo, mas entrarmos separados e ele ficar apenas observando quem chega em mim, então quem sabe rolar alguma coisa legal com um desconhecido.

    Nosso amor permanece como nunca, então podemos ver que essas aventuras, uma vez que consentida pelo companheiro ou companheira, quando existe respeito apenas fortalece nossa união e nos faz sermos mais felizes ainda! 

    safadaecuckold

    Nossas regras

    Não existem regras definidas para todos os casais que estão numa relação Hotwife / Cuckold, nós temos as nossas, criadas baseadas em nosso perfil e foram ditadas de comum acordo entre eu (o corno) e ela (a safadinha), lembrando que ela tem um PA fixo.

    • Ela pode transar com o PA fixo quando eles quiserem com ou sem a participação do corno.
    • Se o corno for chamado para participar, ela define no dia e hora como será a participação, podendo ser participante também transando, ou pode ser como voyeur ou assistente. 
    • Se for solicitado ao corno que saia, para deixar a Safadinha e o PA Fixo em privacidade, é dever do corno obedecer, devendo inclusive ficar atento ao pedidos sutis ou subliminares.
    • Fica estabelecido que quando o PA fixo estiver presente, ele é o macho, e se o corno for participar, deve obedecer e dar prioridade para ele, não se opondo inclusive a obedecer ordens como tirar e preparar a safadinha para ele comer, e quando estiverem transando fazer tudo para que tenham conforto, bem como lubrificar a safadinha, segurar na mão, guiar o pau dele se necessário e solicitado.
    • O corno nunca fará objeção de usar gaiolinha (cockcage) quando ela achar que deve, pelo tempo que ela definir, onde e quando ela desejar e deve informar o PA Fixo que está na gaiolinha quando ele chegar.
    • Se estiver na condição de assistente, o corno não fará objeção em limpar porra ou qualquer outra substância tanto nela bem como no comedor, devendo o corno ser solicito e cordial e já estar preparado para tal função.
    • Todo relacionamento sexual ou com esta intenção que não seja com o PA Fixo a Safadinha deve comunicar o corno, informando data e local corretamente caso o corno não esteja presente.
    • Por segurança, o corno pode negar o novo parceiro que venha a se apresentar, usando para isso palavra secreta, qual foi estabelecida entre os dois, todavia o corno deve comunicar de forma clara a negativa e nunca por motivos de ciumes.
    • A Safadinha pode namorar e se exibir publicamente com o PA Fixo mesmo na presença do corno em locais públicos que não afetem a vida social dos envolvidos, devendo o corno nestas circunstancias se portar como amigo do casal.
    • Não é permitido á nenhuma das partes expor publicamente, bem como publicar fotos ou citar nomes que possam comprometer o relacionamento do casal socialmente. Lembrando que ambos tem tatuagens e marcas facilmente identificáveis. 
    • A Safadinha pode contar ou confidenciar para amigas suas relações, bem como pedir ajuda para que tal aconteça, porém de forma discreta, visto que uma delas tem conhecimento e a regra não se aplica a fatos anteriores.
    • A Safadinha pode se desejar enviar fotos, ou mesmo pedir para o corno enviar para algum comedor que possa lhe interessar.
    • É expressamente proibido ao corno se relacionar com qualquer outra mulher que seja, salvo sob pedido ou a mando da Safadinha.
    • O corno não é obrigado a ter relações sexuais com o comedor, salvo ações que é dever bem como limpar ou conduzir o pau do comedor, porém não tem obrigação de chupar, masturbar ou mesmo ser penetrado pelo comedor.
    • A Safadinha pode fazer o corno de submisso inclusive na presença do comedor, podendo usar strapon, inserir o dedo ou outros no anus do corno, bem como humilhar, xingar e mostrar sua autoridade.Pode inclusive feminilizar o corno, vestindo calcinha ou adornos que mostrem para o comedor como o corno é manso e obediente.
    • O corno não fará objeção se for de vontade do comedor ejacular nele, bem como se for da vontade da Safadinha introduzir na boca ou no anus do corno ou mesmo espalhar a porra em qualquer parte do corpo do corno, se ela assim desejar.
    • O corno deve comprar e escolher as roupas intimas que a Safadinha irá usar quando for se encontrar com o PA Fixo ou sair com probabilidades de encontrar um comedor, seja em baladas, bares ou eventos sociais.
    • A Safadinha deve manter o corno informado com provocações, fotos, mensagens e tudo o mais que possa motivar e manter o relacionamento e o corno com alta estima e desejo pela sua safadinha.
    • Havendo qualquer desentendimento no relacionamento entre o corno e a safadinha por circunstancias do relacionamento cuckold, o mesmo deve ser ininterrompido, não podendo a Safadinha se relacionar nem mesmo com o PA Fixo o qual deve ser comunicado.
    • As regras podem ser alteradas mediante comum acordo dos dois.
    corno-br

    Otimas regras ❤

    kasaldubem-deactivated20200806

    Que relato!

    Temos 10 anos de relacionamento ao total, mas isso aconteceu quando estávamos namorando somente há alguns meses. Eu sou moreno claro, 1,74m, corpo bacana, 45 anos. Na época eu tinha 35. Ela é bonita, branca leite, cabelos pretos, 35 anos e um corpo naturalmente lindo… Com uma bunda grande e branquinha de encher os olhos. Na época ela tinha 25 anos. Ou seja, eu tinha 35 e ela 25.

    Quando começamos nosso relacionamento, achei que sua educação do interior e religiosa atrapalharia, mas foi o contrário….

    Eis que um dia estávamos transando sei lá por qual vez, e coloquei um dedo em sua boca e ela começou a chupar como se fosse um pau. Eu já sabia que ela faria isso, mas o fato de ela fazer, e do jeito que fez, de olhinhos fechados e gemendo mais, me levou a crer que ela realmente estava fantasiando outro pau ali naquela hora… E sem dizermos nada gozamos juntinhos.

    Não demorou e fiquei com tesão novamente. Quando transamos aquilo não saia da cabeça e resolvi pegar mais pesado para testá-la… E disse para ela imaginar um cara colocando o pau na boca dela. Não teve jeito… Gozamos novamente. Foi uma loucura.

    E isso continuou e foi evoluindo durante um tempo… Acho que um mês depois de muito tesão e muita provocação aconteceu algo que realmente me deixou de queixo caído. Marcamos com um casal amigo de irmos à uma boate. Bebemos bastante e estávamos nos divertindo quando o casal disse que precisava ir. Nós queríamos ficar mais e ficamos. Estavamos altinhos e curtindo bastante nossa night juntos. Muita pegação… muita sacanagem falada no ouvido… Até que eu, vendo que ela estava muito excitada, pedi para que ela fizesse uma coisa: fosse para a pista e dançasse com alguém. Ela riu e perguntou: tem certeza? Caramba, o fato de ela não ter dito imediatamente que não faria e praticamente topar, me deixou aceso demais! Eu disse que tinha. Ela me deu um beijo, um sorriso sacana, pegou um drink e foi. Fiquei no mezanino em cima olhando e ela lá embaixo na pista. Eu literalmente via todos os movimentos dela de camarote. Não demorou chegou um cara e conversou, mas ela não gostou dele. Chegou outro e mais uma vez foi dispensado. Pensei: ela amarelou e está só me enrolando. Que nada. Chegou um terceiro… O cara era grande e chegou chegando. Do jeito que muita mulher detesta mesmo… Sem muito enrolado, sem muito papo… Puxou ela que eu li nos lábios dizendo ‘não’, mas ele a puxou assim mesmo… E ela foi e começou a dançar. Na hora fiquei sem ação. Porra, se der merda o cara é grande, vai ser bronca. E o ciúme que eu não esperava começou a incomodar um pouco. E eles lá dançando… Não demorou ela estava rindo das coisas que ele falava no ouvido dela, e ele todo curvado por cima dela para falar e dançar, ou fingir que dançava, nem sei dizer… Mas ela parecia entretida realmente.

    Ele tentou beijá-la uma vez, duas e ela esquivando e rindo… e eu pensei: “vai amarelar… Ele não faz o tipo dela… Ela sempre disse detestar pit boys… Esses caras bombadões e tatuados’… E na terceira tentativa rolou um beijo… Mas não foi um beijo comum… Eles se engoliram na porra da pista. Eu perdi o chão. Fiquei sem ação. A cerveja já estava quente e eu nem me mexia… E eles se pegando com força no meio da pista. O cara começou a puxar ela pelo cóccix, sabe? Quando o cara pega na parte de cima da bunda e fica puxando a mulher para o pau dele? E fiquei puto quando notei que ela ficava na ponta dos pés esfregando nele com o quadril. Porra… Isso não estava nos planos.

    Quis ligar para ela. Peguei meu telefone, desbloqueei, tentei ligar, o sinal estava ruim… Mensagem ela não iria nem se dar conta… quando guardei o telefone no bolso e olhei para a pista… CADÊ ELA???? Porra, que desespero! Procurei freneticamente e não achava…

    Desci quase que atropelando as pessoas, mas era um mar de gente lá embaixo. Som alto, iluminação louca, as pessoas se esbarrando, e como eu tenho 1,74m, muita gente mais alta do que eu fechando minha visão… E eu só pensava: porra, porra, porra… E puto pq não era o combinado… E ela sequer olhou para mim… Então depois de muito procurar uma movimentação no canto do meu olho captou minha atenção e os vi se agarrando no escurinho quase embaixo de uma escada… Uma área realmente mais reservadinha… Ela estava esmagada na parede e ele sarrando nela com movimentos como se estivessem fudendo já. A boca dela toda avermelhada de tanto beijo, o pescoço marcado e eu olhando tudo ali. E foi quando percebi uma coisa… Todo esse tempo eu estava com uma tremenda ereção. Meu pau duro pingava e babava compulsivamente na minha cueca. Eles pararam de se beijar  e ela deu uma saidinha e ele ficou lá no mesmo lugar… Ela não me viu e passou direito. A alcancei e a puxei pelo braço. O diálogo

    -Oiiii, amorrrr! Estava indo te procurar

    -Minha linda… Você está demais, hein? – Falei tentando demonstrar mais raiva do que realmente sentia

    - Vc viu o que aconteceu, né? Pronto… Eu quero ele agora. Pronto, disse!

    -Acho melhor não… Não quero.

    -É? Mas e esse pau duro aqui? – disse isso e me flagrou na mentira

    -Vaiiiii… Deixaaaa… prometo lhe recompensar… E, amor… É nossa fantasia e é só sexo.

    -Tá bom… (eu via fogo nos olhos dela… parecia uma vagabunda… Cheiro de bebida e de perfume de outro cara). E como vc vai fazer?

    -Olha, tive uma ideia… Vai na frente para nosso apartamento e se esconda no armário. Eu já disse que tenho namorado e que ele está viajando. E aí vc assiste tudo, ok?

    Concordei e assim foi. Cheguei em casa e pulei dentro do armário. Dei um jeito e ficou relativamente confortável. Menos de cinco minutos depois a porta do quarto abre e eles entram rindo bastante, como se já se conhecessem e se agarrando…

    Ela com aquele vestidinho lindo que dei de presente e aquele cara com camisa branca básica que parecia um gigante… O quarto ficou pequeno com aquele cara dentro. Porra, que ciúme. Sensação de que vc vai perder a pessoa, sabe? E um tesão ao mesmo tempo incontrolável! Minha cabeça parecia girar, mas eu não conseguia pegar no meu pau para não gozar. E eles se agarrando e ele arrancou o vestido dela por cima mostrando o corpinho branco do meu amor, antes só meu. E ela já estava sem calcinha… Ou seja, deve ter tirado no carro do cara. Que puta… Ela sempre detestou tirar a calcinha no carro para mim. E ela, numa agonia danada começou a tirar a calça dele… ele estava de costas para mim… Ela baixou a calça dele enquanto ele arrancava a própria camisa na frente da minha gatinha já nua mostrando todas as suas tatuagens… Tribais e outras mais. Quando ela arrancou a cueca, o fez bem devagar e se ajoelhando na frente dele. Pude ver a cara de espanto que ela fez… Os olhos arregalados… Ela olhou pra ele de baixo para cima e soltou um ‘minha nossaaa’. E o desgraçado ficou rindo… Segurou ela pela nuca e a puxou… E eu só ouvindo os estalidos que ela dava… E ele foi puxando-a até a cama e se sentou e só aí eu pude ver. O pau do cara era realmente monstruoso. Grande demais, uns 24 centímetros e grosso, com uma cabeçona vermelha, e uns bagos de respeito pendurados embaixo. Fiquei puto. Era muita injustiça. E ela lá tentando chupar, mas não passava da chapeleta. E eu só via a saliva dela escorrendo pelo pau dele lustrando todo o pênis e ela com a mão que ficava bem pequenininha e não conseguia fechar as mãos ao redor dele o masturbava. A diferença entre meu pau e o dele é absurda, já que o meu tem 15cm, mas ali olhando parecia o dobro. Ele segurava o cabelo dela para não atrapalhar o boquete caprichado que ela tentava aplicar… Ela colocou as bolas dele na boca… Isto é, uma de cada vez, pois é o que dava e o punhetava longamente, da base até em cima. Era um caminho enorme para aquela mãozinha. Então ele pediu uma camisinha para ela… Ela foi no gaveteiro e pegou uma que eu estava usando temporariamente, pois ela estava fazendo um tratamento e precisou parar com o anticoncepcional um tempo. Ele rasgou sem olhar e tentou colocar no pau… Aí ele ficou puto e disse: ‘Porra… Que camisinha de merda! Muito pequena… Está esmagando meu pau… Não admira você chifrar esse cara’. E ela, vocês não vão acreditar, riu muito, mas muito mesmo, pois ela sabia que eu estava ali, vendo e ouvindo tudo e ela ainda olhou para o armário… Que cachorra! Que tesão…

    Então ele ainda chateado a pegou de frango assado e a colocou no canto da cama e sem camisinha mesmo começou a esfregar a cabeçona na xotinha da minha namorada. Nessa hora pensei em impedir, mas pensei que ele podia tomar um susto com um homem pulando do armário e me surrar e fiquei quieto, achei que ela impediria, no entanto nem passou pela cabeça dela. Ela estava entregue às vontades dele. E o olhava com admiração e atenção. Ela não olhava assim para mim… mas fiquei com uma esperança… Eu vi a desproporção do membro dele para a xoxotinha dela e pensei… ele não vai conseguir, e vão ficar só na masturbação. Então ele começou a empurrar… Empurrava um pouco, tirava e esfregava no clitóris dela… empurrava um pouco, tirava e batia com o pau pesadíssimo no clitóris dela… Ela estava, como à conheço, prestes a gozar… Mas ele estava calmo… Empurrava e eu via toda a pele da xotinha dela entrar junto com parte da glande. Então ele tirou, o pau brilhando da xoxotinha super lubrificada dela, então ele segurou ela pelo cabelo, a beijou e empurrou a rola até a metade numa estocada certeira e cruel! Minha putinha gritou dentro da boca dele e incrivelmente gozou, e gozou… e gozou num óoooooohhhh interminável de gozo. E ele só ficava mexendo para frente e para trás com metade do pau… Sem pressa… Filho da puta! Continuou beijando-a e metendo devagar até a metade… E ela foi se excitando, excitando… Quando vi que ela estava quase no ponto ele mais uma vez a beijou e cravou o caralho até as bolas nela. A puta não se fez de rogada e gozou… Dessa vez gritando desavergonhada. Então a coisa ficou feia… Ele começou a estocar nela e ela tentando sair, pois o pau a machucava no fundo, mas ele continuou martelando o útero da minha gatinha… Via o mastro dele sair todo brilhoso de dentro dela… Ela estava molhando tudo… Virilha, saco, cama… Era uma poça. Ela nunca tinha se excitado tanto. Ele a estapeava na bunda deixando-a vermelha.. E ela mais uma vez me surpreendeu. Começou a gritar: vai, safado… Cachorro… Mete em mim. Sou tua puta pra sempre. Vai, caralhudo. Nunca senti tanto prazer assim… Vai, amor… Vai, amor… Oooooooohhhhh… E mais um gozo interminável. Ele a segurou firme e disse: “vou gozar, vagabunda. Essa tua buceta nunca mais vai ser a mesma depois de mim”. E eu só pensando: e se ela engravidar dele??? Mas ela não estava nem aí para nada! Acho que vi uma lágrima descendo dos olhos dela… Pqp… E ele parou de mexer, deixou o pau todo dentro e pude ver as contrações do pau do cara que parecia ter vida própria e começou a ejacular no útero dela. Vi umas quatro contrações, depois ele sacou a rola de dentro dela e ainda jorrou porra que bateu no queixo dela, e a chicoteou nos peitos, barriga, pernas… e foi diminuindo e deixou apenas escorrendo uma quantidade enorme de porra na buceta dela que estava oca… Muita porra, como só tinha visto poucas vezes em filme. Um buraco enorme e vermelho vertendo porra e ele ainda derramando mais em cima. Ela extasiada. Ambos suados. Se beijaram apaixonadamente. Minha mulher acabara de ser inseminada por outro homem! Que tesão que senti… E gozei copiosamente sem nem tocar no meu pau. Logo depois, de dentro do armário liguei para o telefone dela. Minha gata, muito desenrolada, atendeu e fingiu estar conversando comigo e disse: ‘oi, amor… estou em casa, sim… Antecipou a volta? Ah, que bom… Vc já está chegando no prédio e perdeu a chave???? Ah, tá… vou abrir para vc’ O cara que ouvia tudo pulou, pôs a calça, o tênis de qualquer jeito e disse que terminaria de se arrumar na escada e correu. Escutei a porta da sala batendo… E senti um tremendo alívio com a ida dele. Quando abaixei a cabeça para suspirar, ouvi minha gata chamando. ‘ei… psiu… vem… tua vez’

    Cheguei junto dela, o pau duríssimo… Eu super envergonhado… E ela me puxou e sem dizer nada me beijou. Ainda senti o queixo dela melado, mas realmente não liguei. Só queria beijá-la em alívio. E ela falou ‘te amo… te amo demais! Obrigada por me proporcionar esse prazer. Quem me deu esse prazer foi vc, não ele. Te amo para sempre’. E vi total sinceridade no que ela dizia. E perguntei, ‘mas vc vai encontrar com ele de novo?’ e ela respondeu: ‘em primeiro lugar, combinamos que se acontecesse, seria uma vez, no máximo duas. Em segundo, nem sei o nome dele. Quanto mais contato. E ele não sabe o meu nome também, acho… kkkkk’ E rimos daquilo. Então ela ficou bem séria de repente… E disse, ‘realizei sua fantasia… agora faço o que quiser aqui na cama, combinado?’. Eu consenti… Então ela subiu na cama, encostou-se na cabeceira, abriu aquelas pernas branquinhas toda melada e disse algo que me arrepiou a nuca: ‘me chupa’. E eu ‘mas’.  “NADA DE ‘MAIS’”. E ela realmente pareceu chateada. ‘Trepei com um cara que nem conheço por sua causa, agora me chupe’. Me deitei no meio de suas pernas e comecei a lamber sua buceta… Fui lambendo… Chupando… Chupando… humilhado e com muito tesão… E ela dizia… “chupa… chupa… chupa… sssssss… assim… vai, meu corno… Corninho… chupa a porra do macho que engravidou tua mulher e… ooooohhhhh’. E ela gozou se contorcendo… Sinceramente, acho que gozou mais forte do que com o cara. Esfregando a buceta arrombada e quente no meu rosto me lambuzando inteiro. O quarto cheirava àquele cara. Então ela subiu em cima de mim e me cavalgou. A xota legitimamente arrombada… Mas estava uma delícia e não aguentei e gozei como um cavalo, gemendo e gritando ambos nos declarando amor eterno. Corri na farmácia e comprei a pílula do dia seguinte. Mas nem precisava, pois ela já estava muito próximo do ciclo, tanto que menstruou um dia depois. Nossas transar ficaram insuportavelmente prazerosas. Nosso prazer na cama triplicou. Era incrível. Ela gozava mais fácil depois disso, sua altoestima melhorou… Ela passou a se cuidar mais… Só vimos vantagens nas nossas vidas. Fizemos swing também. Tudo muito bacana, mas a nossa fantasia preferida é o ménage a trois. E só fazemos essas coisas tipo uma vez à cada dois meses, pois nos amamos demais .

    Foi lindo e a primeira de muitas realizações. Somos muito gratos um ao outro pelo prazer que nos proporcionamos . Nossa vida nunca é tediosa na cama… Somos suficientes um para o outro, mas de vez em quando temos a liberdade de variar sempre renovando nosso tesão. E vejo outros caras amigos meus reclamando da rotina ou traindo suas esposas… Coitados! Nem sabemos o que é traição. Acho que sou a pessoa mais feliz do mundo e ela vive dizendo-me exatamente a mesma coisa. Não a trocaria por nada nesse mundo.

    lenixbaiano

    Tb tenho 1.74 e namoro uma branquinha 🤔😁

    serenasynn-deactivated20190315

    I am addicted to watching my husband’s cock slide in and out of other women’s pussies. I also love watching them suck his long shaft deep into their throats. I can’t get enough of seeing his cock inside other women.

    I come so hard when my pussy is aching, empty and soaking wet while I watch his cock pounding another woman’s tight pussy.

    I love the taste of pussy on his cock, I crave it. I can’t get enough. Nothing is better than pulling his thick rod out of a tight cunt and licking her juices off him then shoving his fat prick back inside her. I really love it when he pulls out and comes all over her cunt so I can lick it off.

    bighard23cmcock

    What a good wife

    Make Tumblr NSFW again

    Eu deixei e foi bem gostoso!

    By: Daniela

    Oi, me chamo Daniela, 19 anos, sou meio gordinha, bunda grande bem trativa aos homens, adoro malhar e praticar esportes.

    Desde os meus 16 anos só me relaciono com mulheres, mas no fim do ano passado viajei com uns colegas do trabalho, fomos passar o fim de semana em uma chacara, e um dos meus melhores amigos foi também.

    A noite fizemos uma fogueira e começamos a brincar de verdade e desafio, estavamos todos bebendo, e desafio vai,  verdade vem, até que fui desafiada a beija-lo, sem problemas meu amigo, ta tranquilo e foi bom kk.

    Por volta das 01:00 todos ja em alta foram todos dormir e meu amigo Marcos me pediu para dormir no mesmo quarto que eu, assim que me deitei ele me abraçou por trás, nossa deu um arrepio..

    O quarto so tinha 1 cama de casal, eu tentei me afastar, mas o safado continuava a me encochar, resolvi deixar pra ver até onde ele iria, Marcos então começou a se enfregar mais e mais, pude sentir seu pau duro, ate quis me levantar da cama, mas a curiosidade e a vontade tava me envolvendo.

    Foi então que peguei a mão dele e coloquei no meu seio, e ele começou a apalpar, eu me virei de frente e ele começou a me beijar, e a sua mão não parava de deslizar o meu corpo, até que chegou na minha xana que ja estava molhadinha e perguntou no meu ouvido

    - deixa eu te chupar?

    Sussurei: -sim.

    Ele foi me enlouquecendo com aquela lingua, eu fui a loucura, mas de repente gelei quando vi ele tentando penetrar o seu pau duro e bastante grosso na minha buceta.

    Ele brincava com meu clitoris, batia nele com o pau, passava de cima pra baixo o deixando completamente babado, até que ele colocou na entrada da minha buceta ainda virgem de homem e foi socando devagar, eu gelei mas aquela sensação era gostosa e deu lugar ao tesão, e em questão de segundos ele ja estava num vai e vem frenetico e alucinante

    Não demorou muito e eu tive o meu primeiro orgasmo numa rola de verdade, não demorou muito pra ele gozar tambem, então caimos extasiados de prazer.

    No dia seguinte agimos como se nada tivesse acontecido…

  • Enviado ao Te Contos por Daniela
  • Eu amo dar o cú

    By: Rosana

    Me chamo Rosana, tenho 42 anos, sou alta magra, tenho um bundinha pequena e muito gostosa, sempre fui tarada por sexo anal. Sou casada a bastante tempo e meu marido detesta comer meu cuzinho.

    De vez em quanto me acabo no banheiro com paus de borracha, cada um maior que o outro, e quanto mais largos mais eu gosto. Gosto da dor que sinto quando um pau entra rasgando as preguinhas do meu cuzinho apertado.

    As vezes trepo com conhecidos meus so para dar o cu, mas nunca encontrei um que me fizesse delirar de dor e prazer.

    Certa vez conheci um homem baixo, meio gordinho e feio chamado Jose, que me chamou muita atenção, eu sabia que ele tinha um pau enorme, dava para sacar, pelas calcas largas que vestia. Fiz amizade com ele e um dia marcamos de tomar uma cervejinha num bar distante.

    Antes de sair ao encontro desse homem, fiz uma deliciosa massagem anal, limpei com agua morna e oleo para lubrificar, passei um delicioso perfume, coloquei um vestidinho curtinho enfiei umas bolas tailandesas, dessas que fica so a cordinha para fora e fui sem calcinha ao encontro do meu delicioso PAU.

    Eu estava completamente molhada de tanto tesao.

    Quando cheguei ele ja estava no bar me esperando, ele tambem estava morrendo de tesao, conversamos um pouco e falamos de nossas taras, ele disse que adora comer um cuzinho e que nao sabia se eu iria aguentar um pau tao grande enfiado no cu, pois era enorme e quando olhei em direçao ao pau dele, era realmente enorme quase nao conseguia ficar dentro de suas calcas, quase fui as nuvens, so em pensar na dor gostosa que iria sentir.

    Eu estava simplesmente enlouquecida de tesao, tomei uma cerveja na tentativa de baixar meu fogo, quando senti as maos dele nas minhas pernas, e logo percebeu que estava sem calcinha.

    O bar estava meio vazio e as luzes eram baixas o que dava para agente brincar um pouco, pedi a ele para retirar as bolas tailandesas que estavam enterrada no meu rabo, eu me virei um pouco para nao chamar atenção no bar, ele puxou devarinho o que me fez gemer de tesao, em seguida ele perguntou se podia colocar as bolas de novo no meu cuzinho, e eu disse que sim

    Ele foi colocando uma por uma e quando colocou a ultima disse no meu ouvido que iria arrombar meu cu de tanta vontade de enfiar o mastro enorme no meu buraco, e em seguida saimos para um motel proximo ao bar onde estavamos.

    Ele nao economizou em nada, pegamos a melhor suite do motel, chegando no quarto ele praticamente arrancou minha roupas e eu estava louca para ver o mastro que ele disse que iria me arrombar.

    Quando vi nao acreditei era maior do eu tinha imaginado, paguei um boquete gostoso, chupei tanto aquele mastro, sem sacanagem era o maior pau que ja tinha visto, porque alem de grande era grosso, cheio de veias e duro feito pedra.

    Ele me levantou do chao, me virou de costas para ele, eu estava ali de quatro, com minha bundinha na reta daquele mastro enorme feito ferro, eu estava com medo e tesao, pois sabia que ele iria arregaçar as preguinhas no meu cuzinho e mesmo sentido medo eu sentia um certo prazer naquele contato

    Pedi a ele para lubrificar com gel ele disse que eu iria gostar mais a seco, tentei negociar, nao adiantou ele passou a lingua na entradinha do meu buraquinho e puxou a bolas que ainda estavam enterrada no cu com os dentes, enquanto isso ele enfiava varios dedos na minha buceta.

    Quando todas as bolas sairam ele levantou, ficando de pé e começou esfregar a cabeça entrada no meu cuzinho, ele nao conseguia enfiar, então ele começou enfiando um dedo no meu cú e confesso senti um puta tesão

    Ele enfiou o primeiro dedo, fundo e começou a tirar e enfiar no meu cu, então, ele enfiou um segundo dedo, e os dois juntos provocaram dor, que logo senti prazer e assim foi até ele enfiar o terceiro dedo, aí eu gritei, pois ele rodava violentamente os dedos, parecendo querer dilatar meu cú para abrir passagem para algo mais grosso

    Então, ele retirou os dedos e conseguiu colocar a cabeça dentro do meu rabo que ardia muito então, de uma forma mais delicada começou a esfregar a cabeçona de seu pau, na porta do meu cú, ele parou o movimento de massagem e apontou a cabeca para porta do meu cú e começou a empurra-lo, tentando entrar, mas estava difícil, a cabeçona era muito grande e o meu buraco muito pequeno e apertado, mas ele tanto insistiu, que num golpe brusco conseguiu e senti uma dor terrível, parecendo que tinha estourado meu cú.

    A dor foi tão forte que eu não me contive e soltei um grito, ele empurrava lentamente para dentro, como se estivesse empurrando o um ferro grosso que ía abrindo caminho, sem parar, ate que conseguiu chegar ao fim e eu, então, senti suas bolas encostarem em minha bunda, eu não podia acreditar aquele pau estava toda dentro do meu rabo, que parecia todo dilacerado e minha dor era muito forte, ardia muito

    Eu estava toda arrobada, minhas preguinhas nem davam sinal de vida, me sentia rasgada a dor e tesao eram fortes e comecei a me acostumar, aquilo tudo enfiado, depois de alguns minutos ele começou a movimentar, num vai e vem a princípio lento, depois mais rápido

    Foi quando a minha dor gradativamente foi diminuindo e eu com certo orgulho, de aguentar aquela tora dentro do meu rabo, fui começando a sentir prazer de finalmente estar sendo enrabada por um pau tao grande

    - adoro dar o cu!

    Eu gritei alto e ele sem do nem piedade enfiou mais e mais, agora mandava eu rebolar e os meus gritos foram substituidos por gemidos e suspiros, quando eu senti a mão dele massagear minha buceta, ele queria certamente que eu gozasse com ele

    Mas tanto eu como ele não queríamos que a transa acabasse logo e procuramos demorar bastante, por que agora ambos estávamos gozando as delícias da tesão, eu abria minhas nadegas, para que ele enfiasse ate as bolas no meu rabo

    Ele nao parava de bombar seu mastro e eu, então, aprovetei para rebolar minha bunda em torno do seu pau e eu mesma mexia com meu cú, no pauzudo, ele ficava tirando e enterrando-o com força até as bolas, empurrava e tirava seu pau, como doia e eu agora sentia minha preguinhas encostadas no pau e segui um vai e vem delicioso

    Foi quando quase ao mesmo tempo eu senti um jato de porra quente inundar meu cú e eu explodir de tesao.

    Tomamos banho e depois de 2h de trepada fomos embora.. Dei meu cuzinho para ele durante muito tempo, so que sempre usamos gel para lubrificar.

    Adoro dar o cu.

  • Enviado ao Te Contos por Rosana  
  • orgulhocorno

    Mitos e Verdades sobre o Cuckold

    • Homem que gosta de ver sua mulher com outro é, pervertido, doente ou complexado?

    MITO

    Cuckold é um fetiche como qualquer outro fetiche, em que o homem se excita muito ao ver ou saber que sua mulher transou com outro.

    Não há nisso nada de perversão, doença ou complexo. A grande maioria dos homens se excita só em imaginarem sua mulher com outro, mas isso em geral é reprimido por eles.Há porém aqueles que têm isso bem mais aflorado e dão vazão à prática cuckold.

    • O corno é voyeur? Ele só assiste e não participa?

    MITO

    Voyeurismo é outro fetiche diferente do cuckold. O voyeur têm excitação sexual ao ver qualquer pessoa se despindo ou transando. Já o prazer do cuckold está em ver a sua mulher com outro.

    Muito embora o cuckold tenha um pouco do voyeur por gostar de ver sua mulher durante a transa, o seu fetiche é bem mais amplo e envolve diversos outros elementos de prazer.Engana-se quem pensa que o corno apenas assiste. 

    Ele também transa com a mulher dele, seja antes, durante ou depois do outro macho.No menage masculino, muitas vezes ele interage na relação sexual, estimulando ainda mais sua mulher com carícias e penetração, enquanto o macho também a estimula.

    Via de regra, durante a transa o corno obedece o que a mulher manda na hora. E é ela quem vai decidir se naquele encontro ela irá sozinha ou se ele poderá ir junto. 

    Se ele estiver presente, ela pode barrar a qualquer instante as iniciativas dele e dar as ordens para ele só assistir, sair do local, ou fazer o que ela tiver vontade.Cada variação dessas é curtida com muito prazer para os três, em principal pelo corno.

    Quanto mais a mulher de corno se impuser, quanto mais forte ela for nos seus comandos, maior é o tesão que ele sente

    O prazer do corno está nessa submissão à sua dona, em ter que controlar os impulsos do seu desejo de agir, ou em ter que se submeter a fazer coisas que normalmente ele não faria, mas faz porque ela deu a ordem.Além disso, o prazer do corno está intimamente ligado à satisfação sexual e prazer que ela sente.

    • O corno quer a mulher com outro homem na cama para comê-lo também?

    MITO

    Esse é um dos maiores enganos do senso comum em relação ao corno. As pessoas em geral acham que ele quer ter outro homem na cama para satisfação dele. Errado.

    Para o cuckold autêntico, a sua satisfação está ligada ao prazer da sua mulher e a maioria os cornos é 100% heterossexual. Muito embora haja cornos bissexuais que gostem de interagir com o macho da mulher, são a exceção. 

    Os cornos bissexuais se excitam tanto com o prazer sexual da mulher, quanto com prazer dele com o macho.Já os cornos gays, não são cuckolds. 

    Eles forjam uma situação cuckold porque, na realidade, estão na busca da sua satisfação homossexual e não da satisfação de sua mulher.Nada contra a opção sexual de cada um. 

    E cada casal deve buscar sua satisfação conforme seus desejos e vontades.Estou aqui apenas definindo o que é uma relação cuckold e o que não é.

    É sempre bom, antes de um menage,  o casal e o macho conversarem francamente e deixarem claro o que é bom para os três.

    • O corno não dá no coro?

    MITO.

    O corno é um homem normal, como qualquer outro. Tão viril quanto os machos comedores de esposas. Ele não busca a relação cuckold porque ele não consegue satisfazer a mulher.

    O corno busca ampliar os prazeres de sua mulher; ele quer que ela atinja níveis de tesão e orgasmo cada vez maiores. Afinal, quanto maior é o prazer dela, mais tesão ele sente.

    • O corno gosta de ser humilhado?

    VERDADE.

    Assim como o corno tem um pouco de voyeur, ele também tem um pouco de sadomasoquismo, embora não se possa confundi-lo com nenhum dos dois.  

    O corno típico sobe seu tesão nas alturas quando a mulher ou o fodedor menospreza o pau dele, ou lhe diz coisas humilhantes, por exemplo: “olha o que estou fazendo e aprende como se fode essa tua mulher”, “você só podia ser corno mesmo com essa mulher gostosa e safada”, “estou gozando no pau do macho”, “sai fora que eu vou me deliciar nesse macho”, etc.

    • O corno tem pau pequeno?

    MITO.

    O corno é um homem comum. 

    Há cornos com pintos de todos os tamanhos.

    O que acontece é que: como o prazer do corno está ligado ao prazer que a mulher sente, na cabeça dele quanto maior for o pau do macho, mais a mulher vai ficar fogosa e safada. 

    Por isso os bem dotados são mais procurados por casais cuckolds.  

    • O corno não ama a mulher, por isso libera ela para outros machos?

    MITO.

    Não há maior prova de amor de um homem à sua mulher do que a de buscar mil e um meios e formas para que ela tenha mais prazer e satisfação sexual, principalmente quando essa ampliação de prazer implicar em compartilhar sua mulher com outro macho.

    O corno típico cerca sua mulher de todos os mimos e cuidados e a costuma tratar como sua dona e lhe cerca de roupas, acessórios, lingeries para que esteja sempre bonita e atraente.

    Além disso, o corno autêntico costuma ser muito fiel à sua mulher, o que a maioria dos homens comuns não são.

    • O homem que não gosta de ver a mulher com outro, mas ela o trai sem saber, ele é corno?

    MITO.

    Aqui neste blog ao falarmos de corno, nos referimos ao homem que tem o fetiche cuckold. Nos casos em que a mulher trai sem que ele saiba, embora se use comumente o termo “corno” para seu marido, não necessariamente ele é um cuckold. 

    Se esse marido for cuckold, os dois estão perdendo tempo e muito tesão por não conversarem abertamente sobre isso.

    • Há traição na relação cuckold?

    MITO.

    Na relação cuckold há consentimento. Mesmo quando ela sai com outro homem sozinha, o casal está desfrutando junto o prazer. 

    Ele curte cada detalhe que ele fica sabendo e até do que ele fica imaginando sobre o que pode ter ou não acontecido.

    Traição é fazer pelas costas. 

    Quando há consentimento, não há traião.

    • O corno gosta de lamber a mulher esporrada por outro?

    VERDADE.

    Muito embora não sejam todos que gostem de lamber sêmem

    Porém, todas as coisas que comprovam que a mulher esteve com outro macho são objetos de muita excitação para o cuckold.

    Não há nada pior para um corno, que sua mulher tomar banho depois da transa com o macho e chegar em  casa sem cheiro de sexo. 

    E nada comprova mais que uma mulher fodeu com outro do que uma buceta toda esporrada.

    Por isso, quem se excita muito ao ver uma buceta esporrada, com toda certeza é cuckold. 

    Pode até ser um corno-enrustido, mas com toda certeza é corno.

    lenixbaiano

    Bom 🤗